sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Ele tinha uma flauta doce

A música e suas histórias

As pessoas estavam cansadas, eram vários dias de espera na porta do banco.
Todos os dias os trabalhadores chegavam bem cedo para garantirem que a greve continuasse e assim conquistasse o aumento salarial desejado.

Os policiais também estavam cansados.
Todos os dias eles tinham que ir aos mesmos lugares pressionar os bancários para deixarem as portas das agências abertas, mesmo que não tivesse nenhum bancário lá dentro, só o gerente.

Um dia, um dos bancários grevistas resolveu que a porta da agência deveria ficar fechada. O policial disse que “tinha que cumprir ordens”, e que a agência deveria ficar aberta.
Começou um empura-empurra, gente gritando, as pessoas parando para ver o que ia acontecer. Mais policiais chegando. Os trabalhadores pediram ajuda ao sindicato, chegaram mais piqueteiros e o circo ia pegando fogo.

De repente ouviu-se o som suave que vinha do lado da agência.
Um jovem estudante que ia passando por ali, ao ver a confusão resolveu puxar sua flauta e começar a tocar.
Todo mundo parou de empurrar e passou a prestar atenção na música.
O jovem aproximou-se da porta da agência e continuou tocando.
Alguém pediu uma música e o jovem tocou, um guarda perguntou se o jovem conhecia outra música, ele também tocou.
E assim o tempo foi passando e o clima acalmou-se.

No final da tarde, veio a notícia de que os patrões e o sindicato tinham chegado a um acordo e que todos deveriam ir para a Assembléia.

Uma flauta salvou o pessoal de começar uma boa briga.
E um jovem soube contribuir para que as pessoas
gostassem de música e dos músicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário