terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Brasil ajuda o Banco Santander

A Espanha, Portugal, Itália...

Além de ter comprado o Banespa por uma pechincha, o Santander só tem o que comemorar. O lucro no Brasil vem aumentando anualmente, sendo maior do que na Espanha, e agora o Brasil foi fundamental para o Santander conseguir cumprir as metas exigidas pela Autoridade Bancária da Europa.

Ao ajudar o Santander, o Brasil também ajuda a Espanha. Este raciocínio vale para todos os países da Europa que têm empresas no Brasil. Portugal, Itália, Reino Unido, Holanda, Alemanha...

Não é à toa que o candidato progressista do México declarou que pretende governar como Lula: Estimulando o crescimento econômico, a geração de empregos, distribuição de renda e melhoraria das políticas públicas.

Um presidente entregou as estatais, já o presidente Lula fez escola...

“Santander Brasil auxilia
e grupo atinge 9% de capital mínimo exigido


DCI - Finanças - SÃO PAULO - SP - 10/01/2012 - Pág. B1 são Paulo

- A importância do Santander Brasil no grupo espanhol fica cada vez mais clara. Ontem, o Santander atingiu o nível mínimo de capital exigido pela Autoridade Bancária Europeia (EBA), de 9% e, segundo o comunicado, 4.890 milhões de euros são oriundos da geração orgânica de capital e transferência de participações, principalmente do Brasil.

No início de dezembro de 2011, a EBA divulgou as exigências de capital para as principais instituições europeias e estabeleceu a cifra de 15.302 milhões de euros como o capital adicional necessário para o Banco Santander.

A meta, alcançada cerca de seis meses antes do prazo máximo dado pelas autoridades, foi atingida por meio da incorporação dos lucros obtidos pelo Santander no mundo ao longo de 2011, além da realização de alguns desinvestimentos e da troca de participações acionárias dentro do próprio grupo.

No comunicado,
o Santander credita 4.890 milhões de euros originados
da geração orgânica de capital e
da transferência de diversas participações,
principalmente as do Chile e do Brasil.

Em dezembro de 2011 o Santander chegou a um acordo [fechado na primeira semana de 2012] para a transferência de 4,41% do Santander Brasil a uma importante instituição financeira internacional, que entregará essas ações aos titulares das obrigações conversíveis emitidas em outubro de 2010 pelo Banco Santander na data de seu vencimento e conforme o previsto, informa o comunicado. Esse volume de ações corresponde à participação que os investidores da holding do Catar compraram por meio de um bônus obrigatoriamente conversível em ações até 2013.

Apesar de a conversão ainda não ter sido feita, o Santander já retirou essas ações de seu controle, depositando esses papéis em uma instituição financeira de primeira linha.
Por meio da assessoria de imprensa, o Santander informa que a operação não afeta o patrimônio da instituição.

A maior parte do capital, de 6,829 bilhões de euros, veio de um programa de títulos conversíveis em ações, que vencem em outubro de 2012. O banco captou ainda 1,943 bilhão de euros em troca de participações preferenciais por novas ações, e 1,660 bilhão de euros em aumento de capital. O Santander anunciou que prevê elevar seu nível de capital para 10%.
Marcelle Gutierrez”

Nenhum comentário:

Postar um comentário