segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Um som para não se esquecer

E uma voz para se lembrar

Além das flores, a música sempre marcou a humanidade e a vida de cada um.
Quando eu cheguei em São Paulo, no início dos anos 70, apesar da ditadura, a música brasileira fazia muito sucesso internacionalmente. Era uma das poucas formas de o povo se expressar e mostrar sua alegria, sem a presença tão marcante da repressão. Que não era nada branda, era terrível! Anos Médici que pegava, matava e sumia com o corpo.

Mas todos os jovens gostavam de violão. Era o símbolo da época. Era a voz da liberdade! E nós tínhamos uma colega que estava aprendendo “bossa nova” por que ia fazer um intercâmbio e precisava tocar as músicas mais representativas do Brasil da época. E era muito bonito vê-la tocar Corcovado.

Hoje cedo, procurando umas notícias no computador, achei esta versão de Corcovado na voz divina e maravilhosa de Nara Leão. Não precisa comentar mais nada, é só apertar o botão e ouvi-la para entender o que eu estou dizendo.



E depois de tanto tempo, “O Rio de Janeiro continua lindo...”

Nenhum comentário:

Postar um comentário