terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Paganini e Edu da Gaita

Cada louco com sua mania

Ultimamente tenho carregado no carro um CD duplo com o melhor de Paganini. E quando se fala do melhor de Paganini sempre aparece também o moto perpetuo, que este louco que tinha pacto com o diabo, compôs para testar os músicos que se acham bom num instrumento. Poucos conseguem tocar muitas músicas de Paganini e pouquíssimos conseguem tocar o moto perpetuo com perfeição.

Confesso que ouço mais o concerto numero um e o numero dois, mas, acabo ouvindo os dois discos de ponta a ponta. Sempre fiquei impressionado com Paganini, como gosto também de ouvir a flauta de Jean Pierre Rampal, qualquer que seja a música que ele toque.

Hoje, vindo para o Centro, ouvi um comentário agradável na Rádio USP, da Universidade de São Paulo. Falava que hoje é o aniversário de nascimento de Edu da Gaita, gaúcho da fronteira, com pai sírio e maior tocador de gaita do Brasil. Edu faria hoje 95 anos. Morreu em 23 de agosto de 1982 e deixou muitos discos gravados e sempre foi muito admirado por onde passava.

O que mais me marcou no comentário do rádio foi saber que Edu da Gaita foi o primeiro músico a gravar o moto perpetuo em um instrumento de sopro. Eu sabia que Marsallis tinha gravado no trompete, mas não sei quem gravou primeiro. Assim, fico com a informação da Rádio USP, sem desmerecer a belíssima gravação de Marsallis.

Ouçam a combinação do compositor e violinista Paganini com a interpretação do nosso “monstro” da gaita, Edu da Gaita, o moto perpetuo. A irreverência brasileira não se dá apenas no futebol e no carnaval, ela está presente em tudo que a gente faz.
É o nosso jeitinho de ser.

E salve a música de Edu da Gaita e de Paganini.

2 comentários:

  1. Na gaita de boca, ou harmônica, ao que eu saiba o Edu foi o primeiro e único. Diz que ele quase desmaiou no fim da gravação.

    Videozinho que eu fiz com as poucas fotos dele que achei na net. Postei no Youtube sob a alcunha de Augusto Matraga...

    ResponderExcluir