quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O mundo quer saber da "privataria tucana"

Não podemos apagar a História

Nem tudo que é legal, é legítimo. O que ontem foi vendido como um bom negócio, hoje evidencia-se como um engodo. A grande imprensa escondeu e depois tentou denegrir o livro sobre a “Privataria Tucana”. O mundo da internet precisou fazer um grande movimento divulgando o livro e exigindo explicações dos poderes constituídos sobre a pertinência das denúncias.

Eu fiz uma nota divulgando o lançamento do livro ontem em nosso sindicato dos bancários e, como todos sabem que eu gosto de usar referências históricas, coloquei como título “As forças ocultas tucanas”.

O curioso foi que, mesmo a nossa grande imprensa escondendo o assunto, houve uma grande procura pelo assunto no blog internacional. Eu acho que o pessoal do PSDB deveria ficar preocupado.

Vejam a lista dos países que acessaram o blog
para conhecer “as forças ocultas tucanas”:
Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido/Inglaterra, França, Japão, Portugal, Chile, Letônia, Polônia, Ucrânia, Rússia, China, Suécia e Suíça. Além de centenas de pessoas do Brasil.

Eu acho que, independente do que se pense do autor, o Congresso Nacional, o Judiciário e a Imprensa Nacional deveriam dar mais atenção ao assunto, por que têm mortos que andam e contam histórias comprometedoras. Os poder judiciário também anda em rebuliço e em 2012 teremos eleições municipais em todo país.

Da mesma forma, que já contaram muita coisa do PT, podem também contar coisas do PSDB. E depois de contada, fica difícil de ser negada. Se, em vez de só jogar pedra, a imprensa ajudasse a melhorar a democracia brasileira, todos sairíamos ganhando. Como diz um velho militante: Podemos ter o direito de errar, mas não temos o direito de nos omitir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário