segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Globalização da Natureza

Romãs do Parque Villa Lobos

Hoje já falei da capacidade de Fernanda Montenegro, já falei da Faxina da Folha de São Paulo e, no fim de semana, falei da China. A China nua dos artistas e a China poderosa, que se recuperou da humilhação da ocupação britânica. Enfim, que a globalização é inevitável.

Mas a globalização tem também outras coisas interessantes:
- Vamos falar das flores e frutos!
Neste domingo, ao ir caminhar no Parque Villa Lobos, ao passar pelo Parque dos Idosos (que fica em frente ao Villa Lobos), que também é o Parque dos Cachorros (no bom sentido, é claro), vi um pé de Romã em flores e frutos. Como sempre, parei para tirar umas fotos.


O curioso é que em todo Brasil nós encontramos pés de romãs.
E no Ano Novo as pessoas fazem questão de ter frutas de romãs em casa. Dizem que é para dar sorte no ano que chega.


Nossa cidade de São Paulo é assim, você encontra pés de romãs nas sacadas dos prédios, nos jardins das casas, nos quintais, nas praças e nas ruas.

Com certeza, a grande maioria da população desconhece que esta planta não é brasileira, ela foi trazida pelos europeus que a descobriram na costa da África durante o Império Romano.

Mas a romã não é originária da África, ela é natural da Pérsia, que atualmente é o Irã. Foram os fenícios que distribuíram os pés de romãs por todo o Mediterrâneo antigo. Esta planta é como bombril, tem mil e uma utilidades.

A vida é assim, a gente usufrui de tanta coisa boa, mesmo sem saber de onde ela vem. Você já tem um pé de romã? O final do ano está chegando e vamos precisar de muita sorte.

O nosso pé de romã fica perto do pé de Jabuticaba, que além de jabuticabas, tem três casulos se preparando para virarem belas borboletas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário