quinta-feira, 3 de novembro de 2011

E la nave va...

Com muitas lembranças

Hoje completei dois mil contatos no facebook. Para um velho militante é uma grande surpresa. Uma vida de militância e familiar, atuando no sindicalismo, depois priorizando a economia solidária, nos últimos anos acompanhei minha família crescer nos cursos e na vida e fui agraciado com um blog para contar histórias.

No próximo dia 05 o blog completará sete meses de “casos e causos”.
São mais de 14.000 acessos. Gente de todo o Brasil e de quarenta e sete países. Ontem chegou alguém de Porto Rico. Não me canso de dizer que adoro a idéia de que a Humanidade é Internacional e que nossa Pátria é a Terra.

Muitos colegas me perguntam se é verdade que gente de todos estes países nos visita. Eu respondo que contribuo, mas tem muito da ajuda do tradutor simultâneo do Google. Como diz Paulinho da Viola: Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar...

E por falar em lembranças, ontem, enquanto lia a resenha maravilhosa do jornal Estadão, no Caderno Sabático do dia 22 de outubro, sobre os livros “Vidas dos Artistas” e “Vida de Michelangelo”, deu uma vontade de fazer uma pausa na leitura e dar uma volta pela casa e pelo jardim. Uma forma de sentir a vida e pensar com mais calma sobre o momento determinante da humanidade que foi o Renascimento e os dias de hoje.

Ao olhar as coisas que estão na casa, vi que temos muitas lembranças de pessoas e de países. Hoje ao ver a quantidade de leitores e de visitantes no blog e no facebook, resolvi mostrar um pouco deste mundo exterior e interior. Um pouco destas lembranças.

Um abraço do pessoal de Quebec, no Canadá, simbolizado pela arte dos esquimós.


A cerâmica japonesa, arte milenar. As pequenas são trazidas do Japão quando fomos em delegação de empregados, patrões e governo. O vaso maior é de mãos japonesas nascidas no Japão mas moradora da nossa cidade.


A Holanda foi a precursora do capitalismo, antes da Inglaterra. Tão pequena , tão navegadora e bem sucedida. Esta bússola eu ganhei do pessoal da FNV a Central Sindical da Holanda.


E o Brasil atual requer muita leitura.
Este é o livro “A História da Música para Crianças”.
Música, crianças e flores, quando aprendermos a lidar com estas três questões, chegaremos ao nirvana, ao céu e ao socialismo democrático. O nome do sistema vai importar muito pouco.


Por isto tudo, continuamos a repetir Fernando Pessoa:
- Navegar é preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário