quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Dez milhões de discos de Marisa Monte?

Marisa Monte na China, Coréia, Japão

Eu vim trabalhar ouvindo um disco comprado em Bangladesh, com músicas da Índia. Pretendo divulgar algumas músicas do disco, mas é tudo tão complicado que preciso de mais tempo para montar o texto e a diagramação. Lembrei-me que tinha visto algo sobre Marisa Monte no Estadão de hoje. Ela também já andou pela Ásia e gosta de música universal.

Para nós, mais velhos, Marisa Monte foi uma grande novidade. Já passou um tempo, fomos vê-la no Parque Ibirapuera, depois numa grande casa de show na Marginal Pinheiros e sempre ouvindo seus discos e lendo suas entrevistas. Ela é mais do que uma cantora, ela é uma criadora cultural!

Depois de ler as tragédias econômicas da Europa, a violência física no Oriente Médio, a petroleira desculpar-se por sujar o mar do Rio de Janeiro, que o ministro continua no cargo e que os tucanos de São Paulo continuam discutindo se vão ser vice de Kassab ou não na prefeitura, achei, lá no pé de página do Caderno 2 do Estadão esta matéria sobre Marisa Monte.

Como o jornal não é muito lido a nível de Brasil, e nosso blog é acessado por gente desde o Amapá até a fronteira gaúcha, sem contar os acessos internacionais, achei por bem divulgar este bom texto de Roberta Pennafort.

“O que você quer saber de Marisa Monte

Estadão - Quinta, 24 de Novembro de 2011, ROBERTA PENNAFORT / RIO

Marisa Monte avisa que está "morrendo de vontade de ir para o palco" e cantar as músicas de seu recém-lançado CD, O Que Você Quer Saber de Verdade. Os fãs, em casa, festejam. Na noite de terça-feira, ela reuniu centenas deles na frente do computador para uma conversa com som e imagem, como no Skype, graças à conexão pelo Hangout, ferramenta do Google+ (o número total de internautas não foi divulgado, mas é possível se ter uma ideia pelo número de comentários em seu perfil).

Pela primeira vez na carreira, Marisa está centrando todo o esquema de divulgação do CD na internet - da divulgação de faixas à interação com a imprensa. Na terça, a cantora falou da sede do Google na Faria Lima.

O Hangout não havia sido usado no Brasil até então. Em outubro, participaram o dalai-lama e Desmond Tutu; em setembro, o convidado fora will.i.am. A conversa com Marisa começou às 20 horas e durou 45 minutos.

Seis pessoas que "chegaram" primeiro - membros de fãs-clubes a quem ela escolheu, já conhecidos de contatos prévios pela rede, e pessoas que ganharam um concurso promovido em seu site - puderam fazer perguntas; quem acessou depois pôde acompanhar e mandar perguntas que seriam lidas pela mediadora, a apresentadora Marina Person. Mas elas não chegaram a ser feitas, por falta de tempo. Problemas com microfones dos fãs atrapalharam um pouco, mas a transmissão foi, em geral, ágil. A impressão que ficou é a de que o formato ainda pode ser aperfeiçoado.

Marisa, cuja última turnê faz quatro anos, e chegou até à China, Coreia do Sul e Japão, pode começar a próxima ainda no primeiro semestre de 2012. "Devemos começar a ensaiar em março. Já estamos montando equipe, fazendo reuniões. Mas com calma, porque vocês sabem que eu sou calma. As pessoas terão mais intimidade com o repertório", disse.

Quando foi confrontada com o boato de que encerraria a carreira em breve, ela explicou que foi mal interpretada quando disse que O Que Você Quer... poderia ser seu último CD. "Um jornal publicou isso, mas eu estava me referindo à obrigação de fazer esse formato físico. Acho que no futuro a gente vai fazer de outras maneiras. Esta semana eu vi o Sting dizer que vai lançar só EP (formato com menos músicas do que um CD)", contou a cantora, que vendeu dez milhões de discos desde MM, de 1989, a Universo ao Meu Redor e Infinito Particular, ambos de 2006.

A discreta Marisa também respondeu a perguntas mais pessoais, sobre a fama e a vida entre os mais próximos, mas, seguindo sua linha low profile, preferiu não se expor muito.”

E, aproveitando que Marisa Monte também gosta de “negão” e de “música de raiz”, mostro aqui esta boa gravação da música de Cartola, “ensaboa”. Fica também uma homenagem a Joel Bueno, que mostrou uma boa série de textos, em homenagem ao dia da consciência negra. Dois artistas num Rio de Janeiro que a gente gosta.

Um comentário:

  1. Aproveitem a gravação de Marisa Monte e ouçam ela cantando com Paulinho da Viola, "Desilusão". Música de negro brasileiro de igual qualidade com os negros americanos. Coisas dos deuses...

    ResponderExcluir