segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Corinthians e Moradores de Rua

Ninguém agüenta mais

1 - Vexame do Corinthians

Tinha prometido que não falaria do Corinthians depois do vexame de ontem. Mas, ao ler na internet que voltou o movimento para tirar o técnico do time e que vários torcedores acharam que isto era campanha da oposição, eu resolvi escrever sobre o assunto.

Um time que quer ser campeão brasileiro não pode cometer os vexames que o Corinthians vem cometendo. A direção do clube pode até alegar que “não se troca técnico na reta final do campeonato”. Mas, o que fazer quando o técnico não tem autoridade ou capacidade de administrar o conjunto de jogadores? Por que time o Corinthians tem, o que não tem ou é técnico ou é diretoria. Podemos até concordar que trocar no final do campeonato é ruim. Mas, por que não se contrata uma consultoria?

O que salva o Corinthians é a mediocridade que tomou conta do futebol brasileiro, a começar pela Seleção e seu técnico. E não me venham com chauvinismo!

2 – Moradores de Rua

Falar das flores e dos frutos da Vila Madalena é a coisa mais gostosa do mundo. Mas, quem trabalha no Centro de São Paulo, como eu faço há mais de quarenta anos, não pode deixar de ver o abandono que tomou conta desta região da cidade.

Diariamente quando chegamos, pela manhã, para trabalhar e quando vamos embora, no inicio da noite, encontramos vários moradores de rua deitados nas portas dos bancos e das lojas da Rua São Bento. Pela manhã, muitas vezes estes moradores de rua ficam até às 10 ou 11:00 horas!

Hoje, quando saí para almoçar às 13:00h, um morador de rua estava dormindo profundamente e “tomando sol” na Rua São Bento, bem perto do Largo do Café. As pessoas passavam e tinham que se desviar do corpo deitado e abandonado em pleno Centro de São Paulo.

Tá lá o corpo estendido no chão”, já dizia João Bosco e Aldir Blanco. Mas, não é caso para se fazer música, é um problema muito sério. O que faz a administração pública, as instituições sociais e a população ficarem indiferentes a este corpo estendido no chão, em plena hora do almoço, numa das ruas mais movimentadas da maior cidade da América do Sul?

Pensei em tirar uma foto para botar no blog, mas não tive coragem
.
Prefiro que vocês imaginem a cena. E, “em vez de um rosto, uma foto de um gol”, como diz o compositor. Eu preferi, em vez de “um corpo estendido no chão”, colocar uma foto de uma pequena orquídea.


Para ver se percebemos que este corpo estendido no chão tem mãe, pai e irmãos. E merece ser tão cuidado, como uma flor ou um edifício alto como o Prédio Martinelli, que fica na esquina perto do corpo estendido no chão e onde tem dezenas de órgãos da prefeitura.

2 comentários:

  1. Concordo com suas palavras em relação ao mendigo. Moro nas proximidades da Santa Ifigênia, é muito triste ver as pessoas perambulantes de tanta droga ingerida. Mas penso nelas não como vultos que nos amedrontam e sim como seres humanos que estão doentes nesse momento, e ali tem uma vida, uma respiração, um sentimento e um coração. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  2. O Centro Velho de SP é tão bonito... e tão abandonado.

    ResponderExcluir