terça-feira, 4 de outubro de 2011

Setembro com Greves e Primavera

Um Brasil que precisa melhorar

Quando eu era criança ouvia muito uma música de Luiz Gonzaga que dizia: “Setembro vem aí, tem safra de algodão...”. Tinha uma outra música, que era só orquestrada, que a gente ouvia no rádio e o nome era “Quando Setembro chegar”. Com o passar do tempo eu vim para São Paulo e, apesar de ter estudado Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas, por causa da ditadura militar, acabei virando sindicalista.

Já em 1978 peguei minha primeira prisão. Fui detido pelos agentes do Dops e da Polícia Federal dentro do prédio do Banco do Brasil aqui na Agência Centro na Avenida São João. Era Setembro de 1978, época da primavera brasileira contra a ditadura militar. Com as campanhas salariais e a retomada do movimento grevista contra o arrocho salarial e pela retomada dos sindicatos, o Brasil via as greves crescerem em todo país.

Nossa primavera política cresceu e rendeu belíssimos frutos, como o melhor presidente da república que o Brasil já teve, que por sua vez, gerou a primeira mulher eleita presidenta do Brasil e que está fazendo um ótimo mandato.

Mas, nem todas as flores deram bons frutos.
Nossa Justiça continua cheia de injustiças. Nossas casas legislativas continuam cheias de “vendedores do Templo”. Nossos executivos continuam mais pensando em como ficar ricos e se reelegerem, do que em como acabar com a miséria, com a precariedade da saúde, da educação e da segurança pública.

Ontem, apesar da tristeza de ver mais um juiz estar a serviço dos banqueiros e conceder Interdito Proibitório para proteger os banqueiros contra a greve dos bancários, tive o prazer de encontrar velhos amigos do Rio de Janeiro, de Rondônia e do Pará. Todos estavam em São Paulo acompanhando o Comando Nacional dos Bancários e a Plenária Nacional da CUT. Eles disseram-me que acompanham meu blog e até me convidaram para ir aos seus estados falar sobre a conjuntura e as perspectivas futuras.

Fiquei acordado até tarde meditando sobre a greve dos bancários neste setembro, a irresponsabilidade dos banqueiros que ofereceram uma proposta bem menor do que as montadoras de automóveis, a dubiedade do nosso governo, que fala em respeito aos trabalhadores, mas se alia aos banqueiros para prejudicarem os bancários e os trabalhadores dos Correios.

Ao abrir a porta de casa para vir trabalhar fui acalentado pelas flores presentes em nossos degraus que nos leva ao portão da garagem e ao portão da rua. Em vez de fazer um corrimão de parede ou de ferro, fizemos um corrimão com plantas que florescem na primavera. Tirei várias fotos que apresentarei em várias etapas para vocês.

Em pequenos espaços e nas pequenas coisas, podemos apresentar boas coisas e bons gestos de solidariedade.

Para minha alegria e num gesto de estímulo à vida, vejam a borboleta que veio visitar nossas flores e me dar Bom Dia!


E para homenagear esta aliança paulista com os cariocas que popularizaram o Samba, vivem numa “Cidade que nos seduz” e tem no Blog de Joel Bueno, um dos melhores que conheço, anexei uma música, que é um dos hinos de São Paulo e é um samba paulista, mas aqui está cantada por um símbolo do samba do Rio de Janeiro, nosso histórico Jamelão.

Ronda, letra de Paulo Vanzolini e cantado por Jamelão.

Um comentário:

  1. Vejo que a banalização da vida, a decisão de soltar um réu primário, de um homicida sair pela porta da frente da delegacia,a corrupção e a negociata é um câncer que a nossa sociedade não combate, pela sua própria letargia. O poder judiciário é um deles. Os bancários devem levantar sua voz contra o interdito proibitório, e quem sabe,em 2012 a greve comece em 1º de setembro em possamos desfrutar melhor a Primavera. Beijão da Lourdinha

    ResponderExcluir