quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Nossa imprensa não quer ver

A violência na Colômbia

Nossa imprensa sempre gostou de elogiar Uribe, o ex-presidente da Colômbia, assim como escondia a violência paramilitar que existe naquele país há mais de cinqüenta anos. É claro que lá também tem uns guerrilheiros loucos e ligados ao narcotráfico. Mas, como lá virou um quintal dos Estados Unidos, com direito a bases militares e outras coisas, nossa imprensa justifica tudo...

Nossa imprensa no início também elogiava Fujimori do Peru, depois que o mundo inteiro denunciou que ele ignorava as regras democráticas e era corrupto, a nossa imprensa passou a registrar as críticas, embora sem destaque.

O presidente atual, Sr. Santos, mesmo tendo sido apoiado por Uribe, tem demonstrado ser um bom democrata e tem dialogado com todos os segmentos da sociedade colombiana, estabelecendo um clima bem melhor do que Uribe. Mas as mortes continuam, mesmo que sejam em menor quantidade. O relevante é que, apesar das denúncias internacionais, nossa imprensa continua ignorando. Talvez esperando ordens americanas.

A Veja bem que gostaria que o Brasil também virasse uma Colômbia...

Abaixo reproduzo mais um assassinato dos paramilitares colombianos. São milhares...

“Colômbia: Assassinado dirigente na Ecopetrol

A Federação Internacional de Sindicatos da Química, Minas, Energia e Industrias Diversas (ICEM) condena o assassinato a sangue frio de um trabalhador sub-contratado que militava na filial da Unión Sindical Obrera (USO) na campanha para dar direitos sindicais plenos para os trabalhadores temporários da Ecopetrol em Barrancabermeja, onde há um complexo petroquímico e de refino no departamento de Santander.

Isidro Rivera Barrera, 45, estava em Barrancabermeja, na frente de sua casa, consertando uma máquina de lavar roupa, às 16h da tarde de 26 de setembro, quando um homem armado saltou de uma moto e atirou nele três vezes à queima-roupa. O assassino e seu cúmplice fugiram a toda velocidade em uma motocicleta de alta potência.

"Este ato covarde nos lembra novamente que a Colômbia é um país com risco de vida para aqueles que exercem a liberdade de associação e direitos de livre expressão", disse o secretário geral da ICEM Manfred Warda. "Reiteramos o apelo da nossa filiada Unión Sindical Obrera (USO), para que o Ministério Público da Colômbia use todos os meios ao seu alcance para prender e processar criminosos e mandantes deste crime hediondo."

A ICEM também pediu a empresa Ecopetrol, em Barrancabermeja, e sua contratatista principal, Foster Wheeler AG, e outros subcontratistas, que garantam a segurança para todos os trabalhadores na indústria do petróleo naquela cidade. A ICEM também exortou os proprietários da Ecopetrol (que é de 90% de propriedade do Estado) e seus contratantes para criarem um ambiente de trabalho onde a liberdade de associação e o direito de sindicalização e de negociação coletiva sejam considerados como garantias das liberdades civis. (...) (ICEM, 02.10.2011)”

www.csa-csi.org
Américas Info - Confederação Sindical dos Trabalhadores das Américas
CSI – CSA - Américas Info nº. 19 - 17 de outubro de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário