segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Lula vai tirar a barba

Lula, Sansão e David

Li nos jornais de hoje que Lula vai tirar a barba. Depois os cabelos e não ficará nem bigode. Ouvi no rádio que há pessoas na internet fazendo campanha baixaria, comemorando a doença e dizendo para ele tratar-se no SUS. É típico do pessoal serrista. Liberaram os demônios e agora o resultado está aí. Até gente da imprensa participa da baixaria.

É engraçado dar destaque a ter que tirar a barba.
Isto me lembra uma história interessante.


Em 1991, nós tivemos a eleição mais difícil da história do Sindicato dos Bancários de São Paulo. Vários grupos políticos se juntaram tentando derrotar a Articulação Sindical. Era a Antártica (Anti-Articulação) contra a Chapa Número 1 (parafraseando a campanha da Brahma na época). Os sindicalistas de todo o Brasil se mobilizaram pela chapa 1 ou pela chapa 2. Era o destino da CUT e do PT que estava em jogo. Era uma concepção mais democrática contra outra mais esquerdista.

Ganhamos as eleições de São Paulo, depois fomos para o Rio de Janeiro e derrotamos a chapa da Convergência Socialista, que dirigia o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, e assim conseguimos garantir a maioria da Articulação no Congresso Nacional da CUT. Esta maioria da Articulação na CUT foi fundamental para garantir o caráter sindical da central e também para recuperar a maioria da Articulação no PT.

É importante lembrar que, naquela época, na CUT atuavam militantes de dezessete partidos, tendências e agrupamentos políticos. E a Articulação não era só do PT, tinha também PMDB, PSDB, PDT, PSB, a militância da Igreja e outros agrupamentos.

Passadas as eleições, como era 1991 e o mundo vivia a euforia do fim do stanilismo no Leste Europeu, mesmo sendo época de Campanha Salarial dos Bancários, eu resolvi tirar minha barba pela primeira vez, depois de catorze anos. Ninguém no sindicato, nem minha esposa e minha filha, tinham me visto sem barba. E ser barbudo e feio naquela época era uma demonstração de força contra a Ditadura Militar e os pelegos nos sindicatos.

O secretário geral nacional da CUT e presidente do maior sindicato dos bancários do Brasil tirou a barba e assumiu que era para comemorar a derrota do “esquerdismo no Brasil e do stanilismo no Mundo”. Isto foi notícia em todos os jornais e revistas. Alguns jornalistas não se deram por satisfeitos e foram perguntar a Lula, presidente do PT, e a Meneguelli, presidente da CUT, se eles iam também tirar a barba. Além de darem muita risada, Lula disse que não vinha ao caso.

Passados alguns anos, Lula começou a aparar a barba, deixando-a baixinha e bonita, parecendo um executivo. Ainda mais por que ele também passou a usar ternos de grifes. Assim, ele ficou mais simpático, ganhou as eleições presidenciais e virou o melhor presidente que o Brasil já teve.

Agora a barba de Lula volta a ser assunto.

Com certeza a direita vai comemorar quando conseguir uma foto de Lula “pelado”, sem barba, cabelo e bigode. Vão publicar em primeira página e fazer inúmeras matérias. Vão parecer os “filiteus” comemorando o corte de cabelo de Sansão. Mas, além de Sansão ter dado o troco aos filiteus, Lula para nós é maior do que Sansão. Lula é o nosso David, que derrotou Golias e virou rei de Israel unificado e entrou para a História.

Lula já está na História do Brasil como o maior líder sindical, o maior político vinculado aos trabalhadores e o melhor presidente que o Brasil já teve. O Mundo também reconhece isto, apenas nossa direita não reconhece. Esta mesquinhez política da nossa direita lembra à direita americana que, quando começa a perder o jogo, vira a mesa, matando pessoas ou suspendendo repasse de dinheiro, como está ameaçando fazer agora com a UNESCO e a participação dos Palestinos.

Lula é como esta plantinha que se recicla, renasce a cada estação e a cada chuva, florescendo e trazendo alegria e beleza. Esta foto é daquela “Lágrima de Cristo” que estava “pelada”, sem folhas e sem botões, como se fosse sem barba, cabelo e bigode. E hoje está florida e distribuindo felicidades.


Lula vencerá!
Lula viverá muito tempo ainda e será presidente da república quantas vezes quiser e for preciso.

2 comentários:

  1. Lembro da apuração daquela eleição do SEEB-SP, debaixo das arquibancadas do Pacaembu, onde hoje é o Museu do Futebol. O Gilmar pulava mais que boneco de mola.

    Depois, no Rio, veio a vitória sobre a Convergência, que parecia imbatível. Fizemos uma chapa muito ampla. O presidente era o Fernando Amaral.

    Vencemos. E o pessoal cantava assim:

    - Armou! Armou! Armou e se deu mal! Tentou tirar o Gilmar e perdeu pro Amaral!

    Bons tempos... como a gente ganhava pouco!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Joel, lembro-me muito bem dessa época, onde a gente era unido num só canto num só hino e para um só própósito. Ganhavamos pouco em relação a dinheiro. Com relação as nossas vitórias, choravámos de alegria e felicidade por ter conquistado mais um sindicato!!!Não tinha ganho que superasse esse!!! Falando de nosso ex presidente digo: Não queiram que alguém que ame tenha essa doença, ninguém sabe o sofrimento que é e quem está falando dos cabelos de Lula não está imune! Lula sairá vitorioso de mais essa luta e estaremos sempre juntos.

    ResponderExcluir