sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Fernanda M. fala sobre Dilma

Ela parece viver um dilema shakespeariano

Fernanda Montenegro diz:

"Minha atitude é feminina e não feminista, pois me recuso a ver como exótico o fato de termos uma mulher na presidência. Fico inquieta quando me questionam sobre isso, pois, o contrário não causa espanto", comenta. "Dilma vem se mostrando uma mulher íntegra, que ainda está no tempo de prestar atenção no em torno e em si mesma. Não é afoita ou histriônica e gosto de saber que não tem experiência política."

O fato de a presidente não hostilizar a oposição, de ter convidado ex-mandatários para recepcionar Barack Obama, e de ter escrito uma carta de alta qualidade em que felicitava os 80 anos de Fernando Henrique Cardoso, isso qualifica Dilma, no entender da atriz, como uma personalidade política. "O problema é que a corrupção no Brasil virou um poder suprapartidário, quase um quarto poder", lamenta.

"Se Dilma ceder a esse poder paralelo para poder governar, teremos um governo corrupto. Ela parece viver um dilema shakespeariano, como Hamlet: se cede sua integridade para poder governar, como será esse mandato? A corrupção, no Brasil, tornou-se algo ameaçador, despudorado. É tal a força que a coisa não é sub-reptícia, mas falada, escrita e desafiada." Estadão – 06out2011/ Ubiratan Brasil.

Eu complemento:
Fernanda Montenegro é uma das pessoas com mais credibilidade no Brasil. Cuidadosa, sabe do peso das suas palavras e sabe o que deve falar para contribuir para este país melhorar. Neste pequeno trecho de uma entrevista ao jornal O Estado de São Paulo de ontem, dia 06/10/11, ela aborda duas questões muito delicadas:
Primeiro o papel de Dilma na presidência e segundo a questão da corrupção no Brasil.

Fernanda Montenegro realça o gesto educado e simpático de Dilma, ao propor governar sem ranço, sem maniqueísmo e sem acusação intempestiva. Dilma tem sido uma presidenta educada, respeitosa e modelo de gestora. Os políticos, e parte da imprensa, deveriam aprender com Dilma e pararem as provocações, de só ver defeito nos outros e não olharem para seus próprios defeitos.

Quanto à Corrupção, na verdade é um problema histórico e secular, não começou depois da ditadura militar. Existia antes, existiu durante e ficou mais evidente na democracia. A corrupção faz parte da nossa cultura e Fernanda Montenegro está certa quando diz que Dilma não pode ficar refém da cultura partidária e empresarial da corrupção como parte do nosso quotidiano. Para consolidar a Democracia no Brasil, precisamos fazer um combate diário, aberto e em todas as frentes, contra qualquer tolerância à corrupção.

Às vésperas de completar 82 anos, Fernanda Montenegro já é parte da História do Brasil. Temos orgulho do seu passado, do seu presente e ainda teremos a companhia dela por muitos e muitos anos. Vida longa para Fernanda Montenegro.


Procurei entre minhas fotos de flores, uma para homenagear nossa artista e modelo de cidadã, peguei esta que é bem bonita e fácil de encontrar nas ruas da Vila Madalena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário