segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Com a palavra os Judeus do Mundo

Unesco reconhece Estado Palestino

Como uma pessoa que apóia abertamente a existência do Estado de Israel, que inclusive já visitou o país e esteve reunido com autoridades locais, que tem muitos amigos brasileiros que são judeus, conclamo os Judeus do Mundo a dar um basta a esta situação insuportável.

Temos que torcer por uma solução negociada e pacífica. Mas o mais forte precisa ser mais magnânimo. E o mais forte há muito tempo é Israel. Os palestinos não podem depender só dos árabes. Eles precisam do apoio do mundo. Afinal, foi a ONU que fez o serviço incompleto.

Se queremos democracia na Síria, no Irã, no Egito e nos demais países árabes, para que tenhamos autoridade para exigir, precisamos contribuir efetivamente para que a solução dos problemas dos Palestinos e Israelenses passe por uma negociação que envolva a ONU. E os Estados Unidos não estão com autoridade para determinarem o processo sozinhos.

Que os Judeus do Mundo se posicionem!
Não se esqueçam da História.

Vejam a matéria do Estadão:

Unesco reconhece Estado palestino como membro pleno


Agência é a primeira a aceitar adesão palestina; decisão pressiona Conselho de Segurança
31 de outubro de 2011 | 10h 47 - estadão.com.br

PARIS - A Conferência Geral da Unesco aprovou nesta segunda-feira, 31, a admissão da Autoridade Palestina (AP) como membro de pleno direito do órgão. A votação, realizada em Paris, contou 107 votos a favor, 14 contra e 49 abstenções, tendo como resultado a adesão do Estado palestino à entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU).

Vários países latino-americanos, entre eles o Brasil, e potências emergentes, como China e Índia, se posicionaram de forma favorável ao ingresso do Estado palestino à Unesco - braço da ONU voltado para a Educação, Ciência e Cultura. Contrários ao ingresso estão nações como Estados Unidos, Alemanha e Canadá.

A Unesco é a primeira agência da ONU a reconhecer o Estado palestino. Em setembro, o presidente da AP, Mahmoud Abbas, levou o pedido de adesão ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que entregou o documento ao Conselho de Segurança - órgão máximo do organismo internacional que ainda avalia o processo.
O ingresso é uma vitória dos palestinos e pode pressionar os membros do Conselho de Segurança na decisão sobre o reconhecimento do Estado palestino, o objetivo maior da empreitada da AP nas Nações Unidas.

Diplomatas palestinos garantem que não deverão limitar à Unesco sua ofensiva diplomática. Nas próximas semanas, eles prometem solicitar a adesão palestina a entidades como a Organização Mundial de Propriedade Intelectual, a Unctad, a Organização da ONU para o Desenvolvimento Industrial, a Organização Mundial da Saúde e a União Internacional de Telecomunicações, todas em Genebra, além do Tribunal Penal Internacional.

Os Estados Unidos, que se opõem abertamente à empreitada, ameaçaram cortar as doações à Unesco caso o Estado palestino fosse reconhecido. Washington, membro permanente e com poder de veto no Conselho de Segurança, promete barrar a adesão.
Com Efe e Associated Press.

Nenhum comentário:

Postar um comentário