sábado, 15 de outubro de 2011

Bancários conquistam vitórias

Bancos e Governo poderiam ter evitado a greve

Os Bancos e o Governo precisam prestar conta para àqueles que foram prejudicados com a greve, o porquê de não querer fazer um bom acordo sem uma greve nacional dos bancários por mais de vinte dias.

Se as Montadoras e os Metalúrgicos puderam fazer um bom acordo salarial, sem greve, por que os bancos e o governo não fizeram este mesmo acordo que foram obrigados a fazer depois da greve?

Este tipo de transparência é importante para fortalecer a Democracia.

A categoria bancária e seus dirigentes sindicais estão de parabéns pela forma como fizeram a greve, sem violência, sem deixar de atender os necessitados, como os aposentados e, principalmente, por não entrarem nas provocações dos bancos quando estes abusaram do uso de Interditos Proibitórios, com a cumplicidade de alguns juízes.

Vejam as principais conquistas:

Aumento real – Em negociação que tomou todo essa sexta-feira 14, os banqueiros ofereceram reajuste salarial de 9%, que representa aumento real de 1,5%. “A luta dos bancários arranca aumento real de salário pelo oitavo ano consecutivo”, destaca Juvandia. “A média de aumento real dos 418 acordos fechados no primeiro semestre foi de 1,35%.”

PLR maior
– A regra básica da Participação nos Lucros e Resultados será de 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.400. Assim, essa parte fixa, que em 2010 foi de R$ 1.100,80, será reajustada em 27,18%.

A regra determina, ainda, que devem ser distribuídos no mínimo 5% do lucro líquido. Se isso não acontecer, os valores de PLR devem ser aumentados até chegar a 2,2 salários com teto de R$ 17.220,04.

Aumento na PLR adicional
– Pela proposta, o teto do valor da PLR adicional – que distribui 2% do lucro líquido – passará de R$ 2.400 para R$ 2.800, o que significa aumento de 16,66% em relação ao que foi pago em 2010.

“Com os aumentos na parte fixa da regra básica e no teto do adicional, os bancários avançam na participação maior no lucro dos bancos, um dos principais objetivos da nossa mobilização”, salienta a presidenta do Sindicato.

Antecipação – Caso a proposta seja aprovada, em até dez dias após a assinatura do acordo, os bancários recebem a antecipação da regra básica de 54% do salário já reajustado acrescido do valor fixo de R$ 840,00, limitado ao valor individual de R$ 4.696,37. A antecipação da parcela adicional será paga de acordo com o equivalente a 2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2011 dividido igualmente entre os funcionários até o limite individual de R$ 1.400. A antecipação da parcela adicional não será compensável de planos próprios.

Piso Salarial – O reajuste proposto para o piso foi de 12%, aumento real de 4,30%. No caso do escriturário, passa de R$ 1.250 para R$ 1.400. “Pelo segundo ano consecutivo conseguimos arrancar na luta a valorização para o piso da categoria, acima do aumento real conquistado para os salários. Isso é muito importante para avançarmos rumo à redução das desigualdades dentro dos bancos.”

Dias Parados – O Comando Nacional dos Bancários também garantiu, junto à federação dos bancos, que não será descontado nenhum dia dos trabalhadores em greve. Pela proposta da Fenaban, haverá compensação desses dias no máximo até 15 de dezembro. O que não for compensado até essa data, será anistiado.
“Durante toda a sexta-feira a negociação ficou travada porque os bancos queriam descontar os dias. Com a resistência do Comando, horas depois a Fenaban propôs compensação até junho de 2012, o que também foi veementemente rejeitado. Deixamos claro que não aceitaríamos represálias ao direito de greve e somente ao final da noite ela veio com a proposta final.”

Os bancários do BB e CEF têm conquistas complementares.


- É importante destacar que o Acordo só tem validade depois de aprovado nas ASSEMBLÈIAS.

E, como neste domingo, dia 16, a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, uma das principais negociadoras do Comando Nacional dos Bancários, Juvândia Moreira faz ANIVERSÁRIO, aproveitei para gravar umas musiquinhas dos nossos poetinhas do Brasil....

Tom Vinícius Toquinho e Miúcha 15 - Berimbau / Chega de Saudade / Canto Ossanha
Show antológico gravado em 18 de outubro de 1978 em Milão, na Itália, com a dupla Jobim e Vinícius, acompanhada pelo violão de Toquinho e pela voz de Miúcha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário