terça-feira, 20 de setembro de 2011

Um Tempo e Duas Vidas

Também iguais e diferentes

Tem tempo que tudo dá certo e tem tempo que, por mais que a gente tente, as coisas não andam como a gente quer. E não adianta brigar com o tempo, é preferível literalmente “dar um tempo”. Este dilema de como lidar com o tempo, creio que faça parte da nossa civilização. Quando devemos antecipar as coisas? Ou quando devemos adiá-las? Não tem resposta. Só os fatos respondem.

Isto também vale para as plantas e outras coisas... Neste domingo, andando por nossa rua, observei algo interessante sobre o tempo. Já mostrei neste blog uma foto do Ipê Amarelo nosso vizinho. Sempre foi uma árvore bonita, mas quando ela floriu, a beleza apareceu mais e nosso pedaço de rua ficou mais bonito. Lá no início da nossa rua, encontrei um grande pé de Ipê Amarelo totalmente florido e sem folhas. Uma visão hipnotizante!
Ainda mais quando as flores recebem os raios solares.


Seguindo o caminho de volta para casa, depois de ficar um bom tempo admirando o Ipê Amarelo em flor, parei em frente do nosso vizinho Ipê amarelo SEM flores e cheio de folhas. Igualmente bonito, frondoso e cheio de galhos onde os sabiás diariamente vão brincar de pega-pega e preparar os ninhos.


A mesma espécie de árvore, a mesma rua, o mesmo tempo, e estas duas árvores dão flores e folhas em meses diferentes. É como seu fossem vários irmãos, com os mesmos pais, professores, brinquedos e oportunidades. E saem uns mais diferentes do que outros, mas todos são diferentes, embora da mesma família.

Mas as plantas cultivadas, como milho, soja, feijão, normalmente elas têm um tempo mais próximo entre si, assim facilita a vida dos agricultores e jardineiros. Mas mesmos os agricultores e jardineiros, como todos nós e a própria natureza, precisamos aprender a lidar e respeitar o tempo. Como há as quatro estações para as plantas, há também as várias estações para nós.

Uma vida com vários tempos, ou melhor, uma vida com várias fases, sejam elas boas ou ruins, mas fazem parte da nossa vida e precisamos aprender a lidar com elas e com o tempo.

2 comentários:

  1. Só o tempo mesmo é capaz de nos mostrar belezas que não vimos e verdades que não enxergamos. Realmente cada um, cada coisa com o seu tempo.
    Um beijão!!
    Rose

    ResponderExcluir
  2. É "Nego Véio" mostrando sua sensibilidade (que nunca foi pouca!) e seu talento com as letras...
    Gilmar, sempre surpreendente e humano, muuiiiito humano!
    abração fraterno!
    Max Dante

    ResponderExcluir