terça-feira, 27 de setembro de 2011

Os Jovens e os Aposentados

Parece “diálogo espiritual”, mas é real

Vejam que diálogo interessante entre “um bancário militante” e “uma bancária preocupada com seu futuro” e o seu plano de aposentadoria complementar. Não deixei os nomes dos envolvidos por segurança, mas os fatos são verídicos, como diz o título.

Eu vou contar uma história verídica

Meu pai é aposentado de um banco privado. Tem um plano de aposentadoria complementar - PAC. Pois bem, nos anos Fernando Henrique, não sei se vc se lembra, nós não tínhamos reajuste salarial, muito menos aumento. Os da ativa viviam de abono e os aposentados não recebiam nada. Aposentado que passava fome, literalmente. Meu pai estufava o peito e dizia: "se não fosse o banco pagar a diferença da inflação no meu complemento, eu não conseguiria sobreviver!"

Quando vieram os anos Lula, os trabalhadores em geral começaram a ter reajustes acima da inflação (Td ano nós brigamos pelo "aumento real") e os aposentados tb começaram a ter reajustes acima da inflação. Aumentos reais, pequenos que não repunham as perdas obtidas nos tempos passados, mas que de qq forma estavam acima da inflação "daquele ano" em que se aplicava o reajuste. Isso levou, a uma recuperação de parte do poder de compra (veja bem, apenas "parte") dos trabalhadores da ativa e aposentados.

Bom, aí meu pai começou a perceber que os reajustes do PAC estavam ficando menores. Ficou furioso: "agora que o Lula tá melhorando o INSS, vem o banco e diminui o PAC! É um absurdo! Desse jeito não saio do lugar!" Aí eu tive q explicar para ele algo que é muito parecido a uma resposta que daria p vc tb. Se vc olhar a fórmula do PAC, ela considera, entre outras coisas, seu salário de INSS e, se esse cresce acima da inflação, o tamanho do seu complemento será a diferença do INSS para o que seria seu salário da ativa atualizado.

Por que? Pq um plano de Benefício Definido tem a função de manter seus ganhos na aposentadoria como se vc na ativa estivesse. Vc vai dizer: a soma do que ganho hj não é igual ao que eu ganhava! Verdade. A fórmula do PAC também considera o salário médio do banco. Sei que essa explicação parece conversa de louco, mas a verdade é uma só: num plano como o PAC que vc tem, quanto maior for seu valor de INSS, menor será seu complemento. É assim que funciona esse modelo. Aqui ou na Suécia, ele tem essa estrutura.

Vc perguntou se vc pode vir a ficar sem PAC por causa dos aumentos do governo.
Em "tese", pode. Mas te afirmo: é impossível isso acontecer na prática. Pq? Porque significa uma explosão de gastos do governo com aposentadorias. E isso, nem um governo revolucionário vai fazer. Um governo pode ser um pouco mais bonzinho que o outro, mas nenhum rasga dinheiro. O dinheiro que as pessoas recebiam antes de 2002 era uma forma jurídicamente segura para o banco de "indenizar" aqueles que não continuavam autopatrocinados e/ou aqueles que ficavam no PAC, mas sacavam uma parte do PAC e o banco mudava as pessoas de um pac para outro.

Pq o banco fazia isso?
Até 2001, não havia uma legislação clara que nos protegesse. Agora há uma lei 109/01 que foi construída pelo Luiz Gushiken junto com o FHC e aprovada no congresso com a atuação do Ricardo Berzoini e do ex-governador do ES, Paulo Hartung. Hj a lei está regulamentada e as empresas patrocinadoras de fundo não podem mais fazer o que bem entendem. A lei que existe hj é boa para participantes pq lhes garantem seus direitos. Te digo isso tudo sem falsa modéstia. Os bancários de São Paulo foram os responsáveis pela formulação dessa lei (e muitos de nós no sindicato, inclusive eu, ajudamos a escrevê-la).

Foi bom que vc tenha nos procurado.
Pq nesses momentos cada um fala uma coisa e dp ninguém mais sabe o que é correto ou não. É uma matéria complicada, mas o sindicato está sempre vigilante nessas questões de fundos de pensão. Afinal, brigamos muito para arrumar a casa. Não seria agora que deixaríamos tudo o que fizemos de lado e não fiscalizássemos.

Espero ter conseguido te esclarecer. Não é muito fácil. Mas a vida tb não é fácil.Sempre que quiser entre em contato. Terei prazer em responder.

Um abraço

Um comentário: