quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Governo e BB contra os Trabalhadores

Uma verdadeira palhaçada

Na hora que precisam ser eleitos
, tanto o pessoal da esquerda como o pessoal da direita, gostam de visitar Sindicatos e Igrejas pedindo apoio político, financeiro e material. Depois de eleitos ou nomeados, quando chega a Campanha Salarial, a maioria dos governantes se volta contra os trabalhadores , sindicalistas e religiosos que os ajudaram a ser eleitos ou nomeados. Esta cultura oportunista e desrespeitosa precisa acabar.

No Brasil, depois que acabou a Ditadura Militar, os banqueiros inventaram um recurso jurídico chamado Interdito Proibitório, que nem a ditadura usou, para dificultar e impedir as greves durante as Campanhas Salariais. O pior é que existem juízes que topam fazer o "serviço sujo". E governadores que mandam as polícias para porta dos bancos. Vamos chamar Cazuza! Que país é este?

Neste ano, as montadoras fizeram acordos salariais com mais de 10% de reajustes SEM GREVE! Os banqueiros, incluindo os bancos federais, apresentaram a proposta de somente 8% de reajuste e ainda são liderados pelo Banco do Brasil para impetrarem Interditos Proibitórios. É uma verdadeira palhaçada! É uma vergonha!

Vejam abaixo a matéria da Folha Bancária de hoje:

Sindicato contra interdito proibitório preventivo do BB

Antes da greve direção da empresa já tinha acionado Justiça
para impedir direito da categoria

________________________________________

São Paulo - O Sindicato está tomando uma série de medidas contra o interdito proibitório preventivo utilizado pelo Banco do Brasil. De forma inédita, antes mesmo do início da greve dos bancários, a direção da instituição federal acionou o instrumento jurídico por meio do qual tenta forçar os bancários a voltar ao trabalho, desrespeitando o legítimo direito de manifestação dos trabalhadores.

“Estamos enviando uma petição, com foco no BB, à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – onde o Sindicato mantém denúncias contra os interditos”, relata a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira. Também foram apresentados, na Justiça do Trabalho, um pedido de reconsideração desse interdito e um mandado de segurança com o objetivo de anular os efeitos da liminar.

Práticas antissindicais – O Sindicato vai solicitar ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) a fiscalização de práticas irregulares cometidas pelo BB, como os contingenciamentos e a utilização da intranet da empresa para pressionar os bancários a não aderir ao movimento grevista. Uma ação civil pública contra essas práticas também está sendo ingressada na Justiça do Trabalho.

“A direção do BB não respeitou a mesa de negociação, não apresentou propostas específicas, ameaçou com retirada de direitos e agora quer impedir seus funcionários de fazer greve. Não vamos permitir”, completa a presidenta do Sindicato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário