terça-feira, 6 de setembro de 2011

Flores para o Corcovado

O quê você vê da sua janela?

Mais uma vez acordei muito cedo por causa do canto do Sabiá. Mais uma vez fiquei deitado, acordado, pensando na vida, nos desafios, nas coisas que dão certo e nas que dão errado. E o Sabiá continuava cantando, indiferente as minhas preocupações. Mais tarde, ao abrir a janela do quarto, fiquei observando as flores e notei que elas estavam mais vivas. Talvez por causa do sol que voltou a castigar a cidade. Calor e secura no ar. Mas os pássaros e as flores estavam mais alegres.

Durante o café, vi as flores no quintal e refleti sobre esta nova flor de duas cores que apareceu. Parece que o nome é Violeta. Tão delicada e pequena, mas tão presente e tão impactante.



Quando fui pegar a chave do carro, aproveitei para pegar um disco novo para ouvir no caminho. Foi mais um disco histórico. Nara Leão e Roberto Menescal apresentando-se no Japão, com um banquinho e um violão. Um disco para colecionadores.

Fiquei ouvindo as músicas e pensando como aquela época era romântica, cheia de esperanças e de um charme em “branco e preto”. Os cariocas eram privilegiados pelo mar, pela paisagem, pela música, pelo teatro, pelo futebol e pelo povo cheio de alegria, apesar da Central do Brasil.

O disco ia rodando e ao chegar à música Corcovado, pensei no prazer de acordar, abrir a janela e dar de cara com o Corcovado. Que lindo! E nós aqui na nossa “selva de prédios e carros”... Mas nós temos as flores. Mesmo que sejam pequenas e poucas.

Se podemos ver as flores pela janela e, no Rio, da janela vê-se o Corcovado, nós podemos trocar sentimentos. Então, pensei em mandar umas flores para o Corcovado e os cariocas, já que eles nos mandam músicas e fantasias.

Não consegui a versão do disco para colocar aqui, mas esta versão com Nara e violão também está muito bonita. Prestem atenção na combinação da letra, da música e a própria voz de Nara.

Isto é arte de primeira, Isto é Bossa Nova...

Um comentário:

  1. Meu querido Gilmar... ontem pude observar o Corcovado a uma altitude de 10.000 pés, dentro de um avião voltando para Sampa, foi muito bom, ver a geografia do nosso Brasil Varonil em uma manhã de segunda feira. Sol, mar azul e verde das serras... só faltou o banquinho e o violão. Bjus

    ResponderExcluir