quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dilma fazendo bonito em NY

A alegria de Kotscho também é nossa

Ricardo Ktoscho é antes de tudo um brasileiro que se orgulha do seu país e das transformações que estão acontecendo. Ele sabe que “o país do futuro” é uma realidade. E para provar isto, quem representa este país do passado, presente e futuro, é uma mulher. Mãe, avó, mineira, gaúcha e brasileira, acima de tudo, Cidadã do Mundo.

Publicado em 21/09/11 às 11h02 no Blog de Kotscho, e “editado por mim”

Escrevo este texto antes de ouvir o discurso da presidente Dilma Rousseff na abertura da 66ª Assembléia Geral da ONU em Nova York, que será tema de análises e comentários de colegas meus aqui no R7 e na Record News durante todo o dia.

Quero falar apenas do meu orgulho como cidadão brasileiro pela postura firme e digna como a nossa presidente está representando o país na capital do mundo. Desde domingo, quando ela chegou a Nova York, acompanho pelo noticiário os encontros e as andanças de Dilma em sua primeira viagem internacional de grande repercussão.

Mais do que a figura política, impressiona-me a mulher que nunca sonhou em ser presidente da República, nunca tinha disputado uma eleição na vida e agora e se vê como uma das protagonistas no centro das grandes decisões mundiais.

Posso imaginar quanta coisa passou pela cabeça dela nestas horas que antecederam seu discurso como primeira mulher a fazer a abertura da Assembléia Geral da ONU. Logo ao chegar à cidade, Dilma se viu na capa da revista "Newsweek" com a chamada "Não mexa com ela", e até agora tem feito o possível para justificar o texto elogioso da matéria.

A mulher Dilma deixou no Brasil a mãe doente no Hospital das Fôrças Armadas e uma penca de problemas em várias áreas, sem falar no agravamento da crise econômica mundial que começa a mostrar reflexos no quadro interno, com previsões de subida da inflação e queda no crescimento econômico. Mesmo assim, ela encontrou tempo e cabeça para ir a restaurantes, museus e lojas, comprar um disco de jazz para ela e roupas para o seu neto de um ano.

Com o presidente Obama, que se referiu a ela como "amiga", Dilma defendeu uma ação conjunta dos países contra a crise econômica e elogiou a atuação do presidente americano para gerar mais empregos nos Estados Unidos.

Para quem é estreante no ramo, Dilma está fazendo muito bonito em Nova York. Desde Carmem Miranda, acho que nenhuma mulher brasileira fazia tanto sucesso nos Estados Unidos...

A vida também é feita de notícias boas
por mais que a dura realidade muitas vezes nos impeça de enxergá-las. Valeu, Dilma.

Acrescento: Valeu, Kotscho, também temos orgulho de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário