terça-feira, 2 de agosto de 2011

As mulheres são as culpadas

E os homens?

Tenho tantas fotos de flores para mostrar para vocês, mas “não sou eu que me navego, quem me navega é o mar”, já dizia Paulinho da Viola. A vida faz a pauta. E como podemos resistir à pauta da vida e criar a nossa pauta? Ou, ter a lucidez de combinar a pauta da vida, com um planejamento da vida que a gente gostaria de ter? Planejar significa ter desejo, desejar significa ter sonhos. E as pessoas que não sonham não são pessoas, são minerais. Porque até os animais sonham...

E as mulheres que estão lendo o parágrafo acima devem estar pensando: O que tem a ver isto com as mulheres? E eu respondo: As mulheres sempre pensam que nós (homens) só pensamos nelas. E o pior é que, na maioria das vezes, elas estão certas. Tudo que os homens fazem, é para agradar, conquistar e compartilhar com as mulheres. Os homens pensam que “ganham” as mulheres. Ledo engano!

E onde estão as culpas das mulheres?
É que eu queria falar das flores, mas um amigo enviou-me uma matéria de jornal pedindo-me para por na pauta do Blog. Eu tinha visto a matéria na semana passada. Uma matéria pequena e no rodapé da página. Daquelas matérias que alguns jornais dão e outros não. Mas tinha uma foto simbólica. Mulheres no mar. Sorrindo, de roupa completa, parecendo mulheres do século passado. Eram mulheres bonitas, todas elas. E sorrindo e molhadas, elas ficavam mais bonitas ainda.

Não salvei a matéria nem as fotos, mas o assunto ficou na minha cabeça... Mulheres bonitas no mar... Mulheres promovendo confraternização através da primeira visita de algumas mulheres ao mar... Mulheres enfrentando a justiça dos homens, enfrentando a guerra com passeios ao mar... E eu pensava em como fazer um texto para o blog falando de tão bonito assunto sem ferir suscetibilidades. Não suscetibilidades entre as mulheres, mas entre povos em guerra. Afinal, a matéria é sobre O Mar da Palestina, ou O Mar da Galiléia, ou O Mar de Israel, ou o Mar das Mulheres, dos Idosos, dos Homens e das Crianças...

Falar de mulheres ao mar também lembra o filme histórico de Truffaut “Os Incompreendidos”, quando o menino foge do internato e encontra o mar. O mar simbólico, tanto no filme como na mente daquele menino. Lembra também o filme de Glauber Rocha, quando o sertanejo cansado chega à praia e estático olhar para o mar. O mar do Nordeste brasileiro. O Nordeste da fome e da corrupção. O Nordeste da música e da magia. O Nordeste sem o mar, não é o Nordeste. E Glauber viu o mar e virou o maior cineasta do Brasil. Há, tem também o livro de Hemingway, que ganhou o Oscar, “O velho e o mar”. Um pequeno livro e tão singelo.

E as mulheres bonitas de Israel resolveram combinar com as mulheres bonitas da Palestina, que moram na Cisjordânia e nunca viram o mar, que elas iriam viajar juntas de carro, atravessariam o país de Israel para, como o menino de Truffaut e o sertanejo de Glauber, verem pela primeira vez o MAR. Moisés também viu o mar, e a partir desta visão, resolveu libertar o povo hebreu da escravidão no Egito. O mar faz milagres! O mar fez com que os gregos , os português, os ingleses e os japoneses, abandonassem suas mulheres para conquistarem o mundo, descobrir a América, o Caminho para as Índias, chegarem à África. Tudo isto para agradar suas mulheres, suas Helenas...

Quantas guerras os homens não fizeram por causa das mulheres? A Guerra de Tróia, A Guerra da Inglaterra contra a França. Ran, filme de Kurosawa, mostra a guerra dos irmãos, estimulada pelas mulheres... E os guerreiros que guerreavam para roubar as mulheres das outras tribos? Tudo pelas mulheres...


















Vejam a foto! Só consegui colocar uma foto, mas como a foto da pintura de Picasso, “Guernica”, ou a foto da pintura de Michelângelo, são fotos que podem fazer milagres. O milagre de contribuir para a Paz em Israel e na Palestina. E tendo paz na Palestina, poderemos ter Paz no Oriente Médio. E, como a primavera nos países árabes, poderemos ter uma onda de Paz percorrendo o mundo.

E as culpadas serão as mulheres... Elas foram ver o mar.

E os homens? Qual a responsabilidade deles nisto tudo? Perguntarão as mulheres. E elas mesmas responderão: Os homens? Ah, eles são um mal necessário...

4 comentários:

  1. Mulheres são fortes:.gritam, choram, trabalham, não dormem, continuam, tem filhos, beijam, desejam, ficam ao lado, apoiam.
    Quando desistem é pq já fizeram tudo isto e não valia mais a pena.
    Rose

    ResponderExcluir
  2. Sérgio Vianna, de Brasilia5 de agosto de 2011 02:56

    A foto é de um simbolismo fantástico.

    Quem sabe, depois de tanta estupidez dos homens, as mulheres não conseguem estabelecer outro paradigma na Palestina.

    A esperança é grande.

    Mas a razão me diz que vai ser difícil essa tarefa até para as mulheres. A covardia que se vê diariamente sendo praticada contra o povo palestino é das maiores vergonhas da humanidade.

    ResponderExcluir
  3. Atenção: Onde se lia Rã, agora está escrito certo. Não é rã, um tipo de sapo, é RAN, palavra japonesa e título do filme de Kurosawa. Apesar dos apelos para eu corrigir o erro. Hoje eu tentei lembrar como fazer e só depois de duas horas eu consegui, por tentativa e erro. Viva a ignorância e a perseverança. E obrigados aos que me ensinam a não escrever errado, nem bobagens.

    ResponderExcluir