quinta-feira, 14 de julho de 2011

O desafio de ser referência

Uma boa mensagem para todos

“Nos próximos dias 13 e 14 de julho acontecerá o Encontro entre Líderes 2011. O evento será em São Paulo e reunirá mais de 13.000 gestores do Itaú Unibanco para debaterem sobre temas importantes como meritocracia e eficiência.
Este é o segundo ano do Encontro. No evento do ano passado foi lançado o Nosso Jeito de Fazer e apresentada a Visão do banco. De lá pra cá, a prática das atitudes da nossa cultura interna tem sido uma busca constante em nosso dia a dia.
Ser referência, dentro e fora do Itaú Unibanco, é desafio de todos. E por isso, para este Encontro entre Líderes, Pedro Moreira Salles e Roberto Setubal apresentarão um panorama de como evoluímos em termos de performance sustentável e eficiência, além de trazer a definição de meritocracia para o Itaú Unibanco, seus princípios e objetivos para o próximo período.”

A mensagem acima foi enviada para todos os funcionários do Itau Unibanco, ou colaboradores. No dia 12 também saiu uma matéria mostrando que o presidente do Itau Unibanco foi escolhido como “Banqueiro do Ano”, pela Revista Euromoney, uma das mais importantes publicações do mundo financeiro. Um dos aspectos mais importante para ser escolhido é a TRANSPARÊNCIA da empresa e da pessoa que está sendo escolhida. E, em seu discurso, Roberto Setúbal fez questão de compartilhar essa conquista com todos os “colaboradores” do banco. Parabéns!

Em 22 de junho, incluí um texto sobre as demissões no Itau Unibanco, na mensagem “Construção, Desconstrução e Reconstrução”:
– Itaú, o banco brasileiro foi o vencedor do prêmio do jornal britânico Financial Times e do Banco Mundial, como o Banco mais sustentável. Parabéns! Mais do que isto, é sabido que no Brasil atual, o Itaú é o melhor banco para seus clientes, e o mais lucrativo para seus acionistas. Era também um dos melhores lugares para se trabalhar. Tem a melhor campanha de marketing externa e interna do Brasil. Enfim, o Itau é uma marca internacional de referência.

Credibilidade, Confiança, Transparência, Sustentabilidade, Respeito. Palavras maravilhosas do mundo moderno e que valem para o passado, o presente e o futuro. Estas palavras somadas às famosas palavras símbolos da Revolução Francesa: “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, representam a essência da Democracia Moderna, pós guerra-fria, pós fim do bloco soviético e pós fim da hegemonia absoluta dos americanos.
Mas o Financial Times e o Banco Mundial esqueceram-se que por trás das empresas, dos governos, dos exércitos e das máquinas, NÓS TEMOS PESSOAS!

O Itaú cresceu e hoje ganha um bilhão de lucro por mês. Isto mesmo, em 2011 o Banco Itaú lucrará 13 bilhões de reais! Graças ao acerto de seus gestores, à política econômica do governo Lula, aos seus funcionários e clientes. Mas, em 2011, em apenas dois meses o Itaú já demitiu mais de 1200 funcionários. Sem a menor consideração e respeito. Os encarregados demitem seus subordinados dizendo que, mesmo nos casos de mais de vinte anos de trabalho, estes funcionários não servem mais para o banco, que o banco não é instituição de caridade, etc. Isto é, falta de apreço, consideração, falta de Respeito!
O Banco poderia fazer uma entrevista mais respeitosa, explicar o porque da mudança da política do banco, pagar alguns salários a mais, ajudá-los na realocação e garantir um período de assistência médica. Por que não faz isto?
Investiram tanto na construção da imagem do banco!

Hoje, dia 14 de Julho, mesmo dia da Revolução Francesa – 14/07/1789.
A vida dos trabalhadores e camponeses era de extrema miséria, portanto, desejavam melhorias na qualidade de vida e de trabalho.

A situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 14/07/1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.
O lema dos revolucionários era "Liberdade, Igualdade e Fraternidade", pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês.
Durante o processo revolucionário, grande parte da nobreza deixou a França, porém a família real foi capturada enquanto tentava fugir do país. Presos, os integrantes da monarquia, entre eles o rei Luis XVI e sua esposa Maria Antonieta foram guilhotinados em 1793. O clero também não saiu impune, pois os bens da Igreja foram confiscados durante a revolução.
No mês de agosto de 1789, a Assembléia Constituinte cancelou todos os direitos feudais que existiam e promulgou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos, além de maior participação política para o povo.


Hoje é dia do Itau nos jornais e
“Para comemorar com você, hoje, o jornal sai com a nossa cor”
(e a cor do Financial Times)…

Quando abri a Folha de SP pela manhã, fiquei surpreso, a Folha agora estava imitando o Financial Times no caderno econômico Mercado, depois vi que era tudo articulado com a propagando do Itau... Bem criativo, mas o custo é uma grana pesada. Mas o Itau tem lucro de um bilhão por mês, tem muito dinheiro para gastar.
Depois vi também que o caderno de econômico do Estadão também imitava a cor do Financial Times e tinha a propaganda do Itau. Era mais dinheiro ainda... Este banco é poderoso!
E a mensagem central do Itau nos jornais diz:
“Ser sustentável é ser transparente. É valorizar a as relações duradouras, é promover o uso consciente do dinheiro, é crescer ouvindo todos os que se relacionam com a gente e mudar sempre para ser um banco cada vez melhor para você. É incentivar o desenvolvimento das pessoas e do país, mas não a qualquer custo. Pode se orgulhar. O banco mais sustentável do mundo é nosso. É brasileiro. É o Itau. O mundo muda, o Itau muda para você.”

Eu também me orgulho do Itau.
Mas, se o mundo muda e o Itau também muda, faço um apelo para o banco mudar e considerar mais os seus “colaboradores” e funcionários na hora de demiti-los... Eles também fazem parte da história e dos méritos do Itau.
Um banco que é feito para todos nós, inclusive os funcionários e colabores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário