quinta-feira, 9 de junho de 2011

FERAS FERIDAS

Retrato de Brasilia

Esta música fala por muita gente, mas vai chegar o dia que falaremos de flores e da primavera. Precisamos aprender que democracia é pluralidade, tolerância, reconhecer as diferenças e as capacidades. É hora de levantar o circo, cuidar das feridas, fazer o balanço da batalha e planejar o futuro, para diminuir os erros.
A vida continua...

Fera Ferida

Composição : Roberto Carlos / Erasmo Carlos


Acabei com tudo
Escapei com vida
Tive as roupas e os sonhos
Rasgados na minha saída...
Mas saí ferido
Sufocando meu gemido
Fui o alvo perfeito
Muitas vezes
No peito atingido...
Animal arisco
Domesticado esquece o risco
Me deixei enganar
E até me levar por você...
Eu sei!
Quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
Eu sei!
O coração perdôa
Mas não esquece à tôa
E eu não me esqueci...
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou Fera Ferida
No corpo, na alma
E no coração...(2x)
Eu andei demais
Não olhei prá trás
Era solto em meus passos
Bicho livre, sem rumo
Sem laços!...
Me senti sozinho
Tropeçando em meu caminho
À procura de abrigo
Uma ajuda, um lugar
Um amigo...
Animal ferido
Por instinto decidido
Os meus rastros desfiz
Tentativa infeliz
De esquecer...
Eu sei!
Que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
Eu sei!
Que as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci...
Não vou mudar
Esse caso não tem solução
Sou Fera Ferida
No corpo, na alma
E no coração...
Sou Fera Ferida
No corpo, na alma
E no coração...

Nenhum comentário:

Postar um comentário