quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Há um ano o Brasil vendeu sua soberania

Mercenários, entreguistas, enganados:
Todos contra Lula, Dilma e o PT


Nosso colega Andrezinho, sindicalista que está morando em Montevideo, gosta de contar quantos dias já se passaram do golpe do impeachment.

Como hoje é um dia simbólico, 17/08/17, em fiquei pensando se não seria o aniversário do golpe no Brasil e do início da Nova Ditadura brasileira. Depois fiquei sabendo que o aniversário será no próximo dia 31 de agosto, bem no encerramento do Congresso Extraordinário da CUT, que começa no dia 28.

Neste Congresso estarão participando quase 700 delegados nacionais e mais de 70 delegados internacionais. O tem central do congresso é a resistência contra o golpe, a nova ditadura, a reforma trabalhista, a reforma da previdência, o desemprego, o arrocho salarial, o congelamento dos salários, o fim da políticas públicas e as perspectivas para as eleições gerais do ano que vem.

Em apenas um ano
, os golpistas e ditadores fizeram o Brasil retroceder 100 anos. Voltamos a antes de 1930, data da Revolução Tenentista contra os governos da República Velha, corrupta, reacionária, sem perspectiva econômica e social. A partir de Getúlio Vargas o Brasil entrou na era da modernidade industrial e de infraestrutura. Com o fim da segunda guerra mundial o Brasil mudou de patamar...

O Brasil foi melhorando, os pobres, principalmente a população rural foi melhorando de qualidade de vida e isto levou a muita reação dos empresários da época. O resultado foi o golpe militar de 1964. As Reformas de Base foram substituídas pela Reforma Bancária, a industrialização intensiva e a integração nacional militarizada e via TV e rádio, buscando garantir o território nacional e que a esquerda não crescesse no Brasil. Mesmo sem liberdade, o Brasil cresceu economicamente e desenvolveu sua infraestrutura. A ditadura acabou com a democracia e com a liberdade.

Com a crise econômica nos anos 70 e 80
, veio também a liberdade de organização partidária e sindical. O Brasil nunca teve tanta liberdade e tanta democracia como teve a partir de 1985. Era a Primavera Brasileira. Dois fatos marcaram bem esta época: a eleição pela primeira vez de um operário para presidente e a eleição pela primeira vez de uma mulher para presidente. Mais de 40 milhões de brasileiros saíram da pobreza e todos melhoraram de vida no Brasil.

Mas "Narciso acha feio o quê não é espelho"
e a elite paulista, liderada pelo PSDB e pelos Estados Unidos, morrendo de inveja decidiram acabar com a Democracia no Brasil, derrubar um governo eleito e nomear como governo uma quadrilha de corruptos e mercenários.

Enganados pela imprensa, pelo judiciário e pela manipulação mercenária dos parlamentares, tiraram a presidente e nomearam seu vice como novo ditador com a função de vender tudo que fosse possível, privatizando toda a infraestrutura e vendendo as empresas nacionais a empresas internacionais, tudo isso à preço de banana.

Destruíram os direitos dos trabalhadores, querem acabar com a aposentadoria e estão reduzindo a estrutura do Estado a quase nada.

Em apenas um ano destruíram mais do que os 500 anos de nossa história. São mercenários, predadores e entreguistas. E querem fazer uma reforma política para impedir que os partidos vinculados aos trabalhadores voltem a ganhar eleições.

Com o desemprego levando o povo ao desespero a mobilização contra o governo reflui mas não acaba e vai voltar a crescer a partir dos locais de trabalho e das comunidades.

Os chineses costumam perguntar:

O que é um ano perto de 8 mil anos de história chinesa?

Nós afirmamos:
O que é um ano perto 100 anos de luta de classe?

Venceremos!
Pode durar várias Primaveras, mas Venceremos!



quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Os jasmins estão florindo...

Mesmo com o frio, as flores brancas do jasmim

Quando saí hoje cedo de casa, fiquei surpreso com a quantidade de botões de jasmins.

Algumas flores já abriram, mas teremos muito mais flores neste ano. 




Também já temos flores da Primavera e os ipês amarelos da rua já começaram a florir.
Quem anda muito sequinho é o pé de Lágrimas de Cristo. Esta foto é do auge das flores...



O inverno vai acabando e logo logo voltaremos a ter mais vida e mais alegria.


terça-feira, 15 de agosto de 2017

A nova ditadura no Brasil e seus reflexos

A destruição da qualidade de vida no Brasil

O discurso principal dos golpistas era que eles prometiam "pão e mel" para o povo brasileiro. As promessas foram desmascaradas uma por uma e o povo brasileiro passou a amargar o desemprego, a perda de direitos, o arrocho salarial, o aumento do custo de vida e a piora do humor da população.

Mesmo com a inflação baixa, a qualidade de vida no Brasil está piorando. O que mostra que controlar a inflação é insuficiente para melhorar a economia. É como se você tivesse dinheiro para comprar um carro, mas não tivesse recursos para pagar gasolina, estacionamento, seguro, etc.

Há uma concentração no debate político, mas é imprescindível que também se discuta a economia.
Já que, como afirma o professor Juarez Guimarães:

"O golpe em curso no Brasil
se insere no processo internacional da
contrarrevolução NEOLIBERAL,
que está construindo
Estados Constitucionais NÃO DEMOCRÁTICOS pelo mundo inteiro".

"Este conceito parte da ideia de que, para pensar a conjuntura brasileira na sua imprevisibilidade e elevado grau de arbítrio, é preciso recorrer à história longa, ao processo inacabado e interrompido de construção de um república democrática no Brasil e aos impasses históricos dessa construção. O que queremos é identificar uma reiteração de sentido, isto é,

A INCAPACIDADE DAS CLASSES DOMINANTES BRASILEIRAS DE CONVIVER COM A DEMOCRACIA, naquilo que ela tem de substantivo,
como a distribuição de poder e riqueza e de alargamento de sua base social".

As classes dominantes brasileira optaram historicamente por conjugar capitalismo com AUTOCRACIA, e essa é a História da DITADURA MILITAR. O sentido do gole de 64 está sendo reiterado agora, com uma grande diferença. O fato de a economia brasileira ser hoje muito mais associada ao capitalismo internacional do que era em 1964, temos uma mudança epocal da tradição liberal.

O neoliberalismo já tem uma história e já há uma literatura especializada que estuda esse fenômeno epocal e suas consequências no sentido de desconstruir o princípio da soberania popular nas democracias ocidentais.

Estamos neste século vivendo uma terceira fase do neoliberalismo,
uma fase mais predatória,
onde suas dimensões antidemocráticas ficam mais evidentes.

A partir de 2008, quando as dívidas financeiras foram estatizadas,
a contradição entre a gestão pública e as democracias vai para o primeiro plano.

Vemos, então, essa dimensão antidemocrática do neoliberalismo irromper de forma mais evidente.
O golpe no Brasil se insere nesta narrativa de uma contrarrevolução neoliberal
que está construindo estados constitucionais não democráticos.
(Ainda)Não são militarizados, como na época da guerra fria,
mas estados constitucionais não democráticos."

Os reflexos políticos já estão explicitados tanto pelos governos, como pelo Judiciário. Os reflexos econômicos e sociais estão aparecendo e contaminando o humor da população, levando os novos ditadores a mudar a legislação eleitoral como forma de impedir que os partidos voltados para o povo voltem a ganhar as eleições de que se aproximam.

O desemprego e o aperto salarial aumentam a cada dia, obrigando a classe média a tirar os filhos das escolas privadas e também a voltar a andar de ônibus, em vez de automóveis. Os pobres sentem a falta de dinheiro e suas famílias procuram emprego em vão.

E os golpistas ainda querem aprovar o fim da aposentadoria até o mês de setembro.
Vamos ver se conseguirão...



segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Juiz ganhando meio milhão? É legal e legítimo?

Será que O globo enlouqueceu?

Juiz de MT recebe contracheque de quase meio milhão de reais


Pagamento teve aval do CNJ. Magistrado diz que valor é justo e não liga para polêmica

POR JUSSARA SOARES – O GLOBO
14/08/2017 18:48 / ATUALIZADO 14/08/2017 21:04

SÃO PAULO - Em meio a ações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que contestam os altos valores pagos aos magistrados, um juiz de Mato Grosso surpreendeu ao ter revelado o valor de seu contracheque do mês passado: cerca de meio milhão de reais.

Titular da 6ª Vara de Sinop, a 477 quilômetros de Cuiabá, o juiz Mirko Vicenzo Giannotte recebeu, em valores brutos,
R$ 503.928,79. Com descontos, o rendimento foi de R$ 415.693.02. Em conversa com o GLOBO, ele disse que o pagamento é justo e que não está "nem aí" para a polêmica.

A remuneração foi autorizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e, de acordo com o Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJ-MT), é resultado do ressarcimento de um passivo referente ao período de 2004 a 2009. Nesses anos, o magistrado foi designado para atuar em uma entrância superior, ou seja, uma comarca de maior porte, e seguiu recebendo o salário de uma posição abaixo na estrutura judiciária.

O valor, segundo o Portal da Transparência, foi resultado da soma de R$ 300.283,27 em salário, R$ 137.522,61 em indenizações, além de R$ 40.342,96 em vantagens eventuais e mais R$ 25.779,25 em gratificações.


O rendimento de julho, em valores brutos, é quase oito vezes maior do que recebido pelo magistrado no mês anterior: R$ 65.872,83. Os dados foram revelados pelo site do jornal “O Estado de S. Paulo”.

O pedido de pagamento foi feito pela Associação dos Magistrados do Mato Grosso e teve aval do CNJ.

Em entrevista ao GLOBO, o juiz Giannotte afirmou que o valor é a "justa reparação" pelos anos em que trabalhou em comarcas superiores, mas seguiu recebendo o salário como juiz de primeira entrância.

— Eu não 'tô' nem aí (sobre a polêmica). Eu estou dentro da lei e estava recebendo a menos. Eu cumpro a lei e quero que cumpram comigo — disse o magistrado.

Segundo Giannotte, ele aguarda receber outros passivos estimados em R$ 750 mil, referente ao acúmulo de varas.

— O valor será uma vez e meio o que eu recebi em julho. E quando isso acontecer eu mesmo vou colocar no Facebook — disse o juiz, que afirma ser "famoso" por trabalhar até de madrugada.

A única surpresa para o magistrado foi a quantia milionária ter sido depositada no dia 20 de julho, data em que completou 47 anos.

— Foi um belo presente, uma coincidência —, disse Giannotte, que não revelou como vai investir a bolada. — É uma coisa pessoal, mas antes de receber eu sempre fiz minhas doações.

O juiz é o mesmo que determinou que a Universidade de São Paulo (USP) fornecesse a substância fosfoetanolamina sintética, conhecida como a pílula que câncer, para um morador de Sinop.


Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/juiz-de-mt-recebe-contracheque-de-quase-meio-milhao-de-reais-21705474#ixzz4pmPAJ7DW
stest

Veja também
Procuradores recuam e desistem de reajuste salarial de 16,7%
STF aprova orçamento de 2018 sem aumento para juízes
Associações de juízes pedem que Cármen Lúcia inclua previsão de reajuste de 16,38%
Janot e Raquel Dodge voltam a divergir sobre cortes no orçamento e aumento de salários

Folha insiste na criação de novos partidos de esquerda

Vale tudo para impedir a vitória de Lula


O PT surgiu ainda na época da ditadura militar e já contava com questionamentos dos partidos de esquerda tradicionais como o PCB e o PC do B, que existiam na clandestinidade há dezenas de anos.

A luta pela redemocratização do Brasil, o apoio dos movimentos sociais ligados à Igreja Católica – Teologia da Libertação, os exilados, os acadêmicos como Sérgio Buarque de Holanda e Antonio Candido, artistas como Chico Buarque e o movimento sindical foram fundamentais para que o PT surgisse como um partido de massa, democrático, a favor da economia de mercado e das liberdades partidárias, religiosas e de informação.

Crescemos anos após anos, ganhando prefeituras, elegendo vereadores, deputados estaduais, federais, senadores e, finalmente, elegendo presidente da República. Tudo isso fazia parte da Primavera Latino-Americana.

No governo, mais acertou do que errou. Mas, a cada eleição majoritária, a imprensa sempre apoiou candidatos de esquerda como forma de diminuir os votos do PT e impedir suas vitórias. Apoio em vão. Lula sempre ganhou.

O PT está sangrando ante tanta agressão midiática, jurídica e política. Mas, Lula continua na frente de todos os candidatos da direita e da esquerda. Se as eleições forem democráticas, Lula com certeza será nosso presidente.

Para as eleições de 2018, a imprensa está estimulando que as duas Frentes existentes, se transformem em partidos políticos e disputem contra Lula e quem Lula apoiar. É claro que a CUT e o PT, que fazem parte das duas frentes, não estimularão a migração de seus filiados para outros partidos. Mas, há muitos candidatos a “inocentes úteis”.

Vejam a “inocente” matéria da Folha na UOL...

Grupos de esquerda iniciam debates pelo país e lançam site

REYNALDO TUROLLO JR. de BRASÍLIA - 14/08/2017 02h00 UOL

Diversos grupos e integrantes de partidos de esquerda anunciarão nesta semana um movimento para discutir projetos para o país e o futuro dessa corrente de pensamento.

Segundo organizadores, o debate não será pautado pelo calendário eleitoral. Porém, ele deve traçar cenários para 2018, com e sem a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Não consta da pauta a formação de um novo partido,
mas essa opção não está descartada.

Haverá uma série de debates em praças, transmitidos online por um site que permitirá a participação de internautas. O primeiro debate está previsto para 26 de agosto em São Paulo. Já há outros programados em Belém, Recife, Rio, Porto Alegre, Fortaleza e Belo Horizonte.

O site, batizado de Vamos!, entra no ar nesta segunda (14), desenvolvido pelo coletivo Mídia Ninja. A ideia se baseia no movimento que originou o partido Podemos, na Espanha, que tem como um dos pilares a horizontalidade.

"O que está colocado é discutir projeto para o próximo período, de 10, 20 anos. Nós temos uma crise do país e da esquerda, precisamos de uma discussão honesta, sem tabus, com espírito crítico", diz Guilherme Boulos, do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), que passou uma temporada na Espanha a convite do Podemos.

A articulação partiu da Frente Povo Sem Medo, da qual o MTST faz parte, e terá integrantes de PSOL, PT, PCB, UNE, Uneafro, CUT, Intersindical, MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) e outros.

Segundo Boulos, foram convidados intelectuais como Laura Carvalho, colunista da Folha, e Raquel Rolnik, ambas da USP, o português Boaventura de Sousa Santos e líderes como Sônia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

Do mundo político virão representantes do Podemos espanhol, os petistas Tarso Genro e Lindbergh Farias, Luíza Erundina e Chico Alencar, do PSOL, e outros. Segundo a organização, os convites foram para as pessoas, não para os partidos.

"A ideia é assegurar uma participação que não seja restrita a militantes. Essa ferramenta de rede permite que mais gente participe, pessoas que às vezes não têm o costume de se organizar e atuar em movimentos de rua", diz Boulos.
"A gente entende que há uma demanda de participação política na sociedade, em especial na juventude, e que isso tem se expressado muito por rede social."

FATOR LULA

Em junho, integrantes de PSOL e PT que estão no Vamos! já haviam se reunido para uma primeira conversa sobre os rumos da esquerda. Como a Folha noticiou à época, o diálogo causou irritação no ex-presidente Lula, que soube dele pela imprensa.

A articulação de agora é vista por alguns grupos como uma forma de pensar a esquerda "além de Lula" – um dos cenários para 2018 é que ele esteja inelegível, caso sua condenação no caso do tríplex de Guarujá (SP) seja mantida em segunda instância.

Boulos ressalta que há consenso entre os organizadores que o petista é vítima de perseguição e que há uma tentativa de tirá-lo do páreo "no tapetão". Por isso, pessoas do círculo de influência de Lula, como o presidente da CUT, Vagner Freitas, também deverão estar no debate.

domingo, 13 de agosto de 2017

A postagem número 3.000 precisa ser uma flor

Com 128 países e 560 mil acessos



Uma orquídea, 
Um quadro de Volpi
E um abajur de Istambul.

Brasil, México e Venezuela como parte da globalização

Golpes, ditaduras, guerras e Democracias

O mundo passa por profundas mudanças econômicas, políticas e sociais.

Materialmente a qualidade de vida quantitativamente tem melhorado para bilhões de pessoas. Que comprovem os chineses, indianos, iranianos, turcos e russos. Mas não podemos afirmar que a democracia e a liberdade fazem parte destas melhoras...

Na África, por mais que os africanos tenham acesso aos telefones celulares e a TV a cabo para assistir jogos do Barcelona e dos demais times europeus, a qualidade de vida e de sobrevivência dos africanos ainda é muito baixa e perigosa.

Aparentemente, o mesmo que está acontecendo na África também acontece no Oriente Médio. A diferença é que na África as tribos ainda ditam regras, onde os Estados Nacionais ainda são frágeis, enquanto no Oriente Médio, foram as invasões do Ocidente, lideradas pelos Estados Unidos, que desorganizaram os Estados Nacionais e generalizou o terrorismo de Estado e de organizações.

Enquanto a África e o Oriente Médio se desmanchavam, a América Latina parecia que flanava numa Primavera Latino-Americana, com eleições diretas, as esquerdas aceitando as regras das democracias liberais e governando mantendo os pilares neoliberais de controle da inflação, controle do câmbio, economia de mercado e, até muitos delas, fazendo privatizações e arrocho salarial...

Esta Primavera Latino-Americano,
com o fortalecimento do Mercosul em detrimento da ALCA - Associação de Livre Comércio da Centro-América, controlada pelos Estados Unidos, e o fortalecimento dos BRICS - bloco do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, tudo isso combinado com a inclusão de milhões de pessoas no mundo escolar, de consumo e do conhecimento internacional, assustou o Big Brother, que começou reagindo educadamente e depois passou a patrocinar nova leva de golpes, ditaduras e agora ameaça com guerras diretas, aplicando o famoso e histórico Big Stick - o Porrete Democrático.

Curiosamente, além dos golpes e ameças militares,
também voltam a usar pesquisas de mercado, consulta a "especialistas" e reportagens com a "imprensa livre" para condenar governos e candidatos que não sigam a cartilha neoliberal e as ordens do Big Brother.

Democracia de Conveniência


O Estadão de hoje,
jornal que virou porta-voz da direita radical e neoliberal brasileira, destaca em letras grandes que "94% dos eleitores não se veem representados por políticos". Na página A4, a manchete é "Classe política enfrenta rejeição generalizada".

Só faltou mandar fechar o Congresso Nacional, fechar os Partidos Políticos e governar por decretos, como já aconteceu no pós Golpe Militar de 1964...

Tudo isso na mesma semana que Trump, o louco líder do Big Brother, ameaçou invadir militarmente a Venezuela.


Já o sério jornal New York Times,

talvez sem perceber a rapidez ação dos golpistas liderados pelo "mercado financeiro internacional" e pelo Big Brother, publicou no último dia 11 de agosto de 2017, uma interessante reportagem sobre o MÉXICO, com o título:

"Mexican Democracy is looking a Little Bit Fragile",

que em tradução simples pode ser
"A democracia mexicana está parecendo um pouco fraca."

Neste artigos dos articulistas Max Fisher e Amanda Taub há frases como:


- O país está atravessando a mais violenta crise em anos e estamos aqui para analisar a forma como a sociedade está respondendo. Há algo significativo acontecendo na política que é difícil de ignorar.

- A democracia mexicana está mostrando todos os sinais de aviso para um populista ganhar... Estes sinais são semelhantes aos sinais de alerta que você viu, por exemplo, na VENEZUELA, apenas antes de Hugo Chavez ganhar o poder.

- A desconfiança nas instituições está crescendo. Assim como a indignação contra a corrupção.

- As pesquisas mostram crescente insatisfação com a democracia mexicana. Os mexicanos sentem que a sua democracia se vira contra eles.

- Esta indignação muitas vezes incide mais sobre a corrupção do que sobre a violência.

- Em tais situações, um populista outsider pode surfar na onde de poder, prometendo limpar o sistema corrupto de cima até em baixo.

- Há uma diferença importante entre as dolorosas mas pragmáticas reformas - que o México necessita - e declarar a guerra contra as instituições que defendem a democracia.

"And History shows that the former can guickly give way to the latter."

- Os analistas e cientistas políticos estão preocupados pela mensagem de o candidato populista, Sr. Lopez Obrador, que o sistema é ilegítimo. Os primeiros indícios de desconfiança na democracia, num momento em que a fé nas instituiões está já em colalpso e está a desabar, podem ser perigosos..."

- As Instituições mexicanas têm problemas reais... E se o Sr. Lopez disputar a eleição e perder a votação, ele pode convencer o seu movimento que a democracia é falsa, isto pode causar danos reais.

- Legitimidade democrática, afinal, é uma questão de percepção tanto como de procedimento. e quando os eleitores percebem que o seu governo é ILEGÍTIMO, a instabilidade tende a seguir...

- O perigo aqui não é o Sr. Lopez perder honradamente ou ganhar e governar com responsabilidade, o perigo é que a democracia mexicana seja vulnerável. Seja frágil e débil exatamente nas formas que permitam um populista vir com promessa de esmagar as elites corruptas. Isto pode acontecer tanto com um candidato populista como com outro qualquer que venha para explorar as fragilidades da democracia mexicana.


Observação:


Agora vocês percebem que a imprensa golpista brasileira faz parte da mesma rede internacional?

Não acho que o jornal NYTimes seja golpista e cínico como é a imprensa brasileira, mas que eles precisam prestar mais cuidado com que escrevem, isto eles precisam...

Hitler foi eleito pelo povo alemão para botar ordem no caos.

E o caos criado por ele quase acabou com o planeta Terra, além de ter servido para redesenhar o mundo, depois de mais de 60 milhões de mortos, feridos, exilados e dispersos pelos continentes.

Isto os especialistas da época não previram e não foram capazes de evitar...